Os arquivos no documentário

  Ontem, dia 11 setembro, ocorreu a terceira e última mesa do seminário A Pesquisa em Arquivos. Com a participação de Patrícia Machado e Anita Leandro, ambas da UFRJ, e de Susana de Souza Dias, da Universidade de Lisboa, o tema abordado foi “Os arquivos no Documentário”, com a mediação de Victa de Carvalho, também da UFRJ.
     arquivos da ditadura 11 09
  As integrantes da mesa no auditório do CCJF. 
  Iniciando com as “Imagens da Ditadura: a tomada e retomada do documentário”, Patrícia Machado falou sobre a cobertura cinematográfica do enterro do estudante Edson Luís, assassinado pela polícia militar em 1968. A pesquisadora considerou o episódio como o estopim contra o regime ditatorial, culminando com mais de cinquenta mil pessoas manifestando-se pelas ruas do Rio de Janeiro. O evento foi registrado pelas lentes de Eduardo Escorel e José Carlos Avellar que, apesar do sentido de urgência relatado por Patrícia, conseguiram registrar o início da resistência contra a ditadura. As imagens dos cineastas brasileiros foram reapropriadas pelo francês Chis Marker para relatar esse período da história do Brasil.
 arquivos da ditadura 11 09_1
 Patrícia Machado (UFRJ)
   Logo após, Anita Leandro expôs o tema “Montagem de arquivos, uma outra escrita da história”, inicialmente relatando sobre o processo de recolhimento da documentação escrita, oral e visual para a realização do filme “Retratos de Identificação”, de sua autoria. Anita também contou de forma breve a história dos personagens principais da película, presos durante a ditadura, Chael Charles Schreier, Antonio Roberto Espinosa, Reinaldo Guarany e Maria Auxiliadora Lara Barcellos.
 arquivos da ditadura 11 09_3
 Anita Leandro (UFRJ), diretora de Retratos de identificação.
   Foram ainda mencionadas por Anita as dificuldades para a obtenção dos arquivos que, além do avançado estado de deterioração, são regulados pelas forças armadas brasileiras. Também os métodos de filmagem e a abordagem aos participantes retratados no documentário foram categorizados e comentados pela professora.
   Para finalizar, Susana de Souza Dias tratou do tópico “O que fazem as imagens? A dimensão processual e atuante das fotografias de cadastro dos presos políticos portugueses (1926-1974)”, retomando a fala da Anita sobre a dificuldade da obtenção de arquivos, da burocracia e manipulação por parte do governo português. A cineasta também mostrou fotos de presos políticos que ela utilizou em seu filme “48”, contando um pouco da história de cada um.
 arquivos da ditadura 11 09_5
 Susana de Sousa Dias (Universidade de Lisboa e Paris 3), diretora de  48.
   Ao final, Victa de Carvalho fez a ligação entre os temas abordados pelas três participantes e convidou o público para comentar e fazer perguntas. Seguindo a tendência dos dois dias anteriores, a participação do público presente foi ativa e contagiante, fazendo inclusive com que o debate extrapolasse o tempo previsto.
   No dia seguinte, 12 de setembro, a discussão continuou com a apresentação do filme “48”, de Susana de Souza Dias, seguido de uma masterclass com a cineasta. Mais tarde, o dia terminou com a estreia do filme de Anita Leandro “Retratos de Identificação”, seguindo-se um debate com a cineasta logo após a exibição.
Por Pedro Vasconcellos. Imagens de Alexandre Kubrusly.
 
 
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s