PROGRAMA MARCAS DA MEMÓRIA E DEBATE COM SÍLVIO DA-RIN

 A mostra de filmes do evento Arquivos da Ditadura, realizado no Centro Cultural Justiça Federal, está em seus últimos dias e trouxe para o público, ontem, dia 16 de setembro, o programa Marcas da Memória, com a exibição dos filmes Repare Bem e Militares da Democracia: os Militares que Disseram Não. No mesmo dia, também foi exibido Hércules 56. No final das sessões, houve um debate com o diretor Sílvio Da-Rin, mediado por Paulo Oneto, professor da Escola de Comunicação da UFRJ.
IMG_7081
Sílvio Da-Rin.
O documentário Repare Bem, dirigido por Maria Medeiros, destaca as marcas deixadas pelas sessões de tortura da ditadura militar brasileira na vida de Denise Crispim, filha de pais militantes e casada com Eduardo Leite, o Bacuri, assassinado após 109 dias de violentas torturas. Em Militares da Democracia: os Militares que Disseram Não, de Silvio Tendler, é apresentado um lado desconhecido do Golpe de 64: os militares que se mantiveram contrários à ditadura e foram perseguidos, cassados, torturados e mortos.
O último filme exibido na noite foi Hércules 56, de Sílvio Da-Rin, cujo título refere-se à matrícula do avião que levou para o México os 15 presos políticos trocados pela liberdade do embaixador americano Charles Elbrick, sequestrado em 1969. Os personagens escolhidos para participar do documentário foram os integrantes do comando da ação e os presos políticos, pessoas que tiveram suas vidas marcadas irreversivelmente pelo sequestro. Em seguida, o debate com o diretor e o público trouxe questões sobre momentos importantes do filme e as motivações de sua realização, esclarecidas por Da-Rin como a necessidade de “colocar em discussão pública a questão da luta armada no Brasil”.
IMG_7101
Sílvio Da-Rin e Paulo Oneto no debate.
A mostra de filmes ainda exibiu hoje Que Bom te Ver Viva, de Lucia Murat; Em Nome da Segurança Nacional, de Renato Tapajós, e Cabra Marcado para Morrer, de Eduardo Coutinho. Amanhã haverá a exibição de Não é Hora de Chorar, de Pedro Chaskel e Luiz Alberto Sanz, e 70, de Emília Silveira, além da reexibição do filme de Anita Leandro Retratos de Identificação.
Por Eduarda Kuhnert.Imagens de André Telles.
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s